Guia rápido de planejamento para um iniciante em revisão de texto


Guia rápido de planejamento para um iniciante em revisão de texto

Antes da parte prática da revisão, há alguns detalhes da contratação a cumprir


Revisar um texto vai além dos conhecimentos de ortografia e gramática. Existe também uma parte “burocrática” e de planejamento que precisa ser cumprida antes de iniciar um trabalho, para garantir que o cliente e até o revisor fiquem felizes ao final do processo.


O artigo de hoje vale não só para o iniciante em revisão de texto, mas para o revisor experiente, e até para o próprio cliente, pois quando o contratante não é do mercado editorial, ele geralmente tem muitas dúvidas, e cabe a você, profissional, conduzir a conversa e resolver todas as pendências.


Neste post, listamos alguns passos essenciais para seguir antes de aceitar um freela de revisão de texto.


1. Peça o arquivo para análise


A primeira etapa antes de dizer que aceita o trabalho e de montar um orçamento é olhar o arquivo.


Peça ao cliente para enviar o texto para que você possa analisá-lo. Explique que isso não gera compromisso e que você excluirá o arquivo e o e-mail, caso o trabalho não seja fechado.


Esse passo é importante para saber se você tem condições de fazer o freela, e porque o valor e o prazo da revisão dependem de alguns fatores que só são possíveis de estabelecer ao ver o arquivo:


  • Tipo: Word, PDF, Power Point, e-book ou impresso – cada tipo tem uma forma de cobrança – lauda, página, slide etc.

  • Tamanho: em páginas, laudas ou slides – quanto maior esse número, mais tempo você precisa para revisar.

  • Complexidade do texto: tanto na questão do tema quanto da própria escrita – quando o texto contém muitos problemas detectáveis logo de início, isso quer dizer que será mais trabalhoso revisá-lo.


Passe por todo o arquivo e tente “escanear” como está o texto, notando o que tem e o que falta nele. Tudo isso entra na conta do valor e do prazo.


2. Estabeleça com o cliente o que será feito


Essa dica é para contratantes pessoa jurídica e pessoa física também. Entenda a necessidade do cliente e combine o tipo de serviço a ser realizado.


No caso da editora, pautar o freelancer é fundamental, ou seja, listar o que não pode deixar de ser feito, entregar o manual de padronização, e combinar como você pode tirar dúvidas com o editor.


Já com a pessoa física, pergunte o que ela realmente quer com o trabalho: pode haver cliente que não deseja grandes interferências no texto, apenas uma revisão padrão; outro pode esperar que você mexa um pouquinho mais (e não há nada de errado nisso, basta colocar o preço correspondente).


Há quem peça coisas mais incomuns – se você faz ou não, deixe isso claro com o cliente.


Quando se tratar de trabalho acadêmico, sempre pergunte se a Instituição tem manual próprio ou se você deve seguir apenas a ABNT ou algum outro padrão (Vancouver, APA etc.).


3. Acerte valor e forma de pagamento


Quanto cobrar?


Essa é uma questão sempre problemática. Os valores variam muito, e valorizar o seu trabalho é primordial.


Cobrar um valor muito baixo prejudica não só sua carreira, mas a profissão de revisor em si. Pense na sua formação, nos cursos que fez e na experiência que tem – tudo isso agrega um valor ao seu trabalho.


Para precificar seus serviços, um bom caminho é fazer uma pesquisa com outros colegas que já estão no mercado há mais tempo, ou procurar nos sites de busca por empresas que oferecem esse mesmo tipo de serviço e deixam disponíveis as tabelas de valores – a partir delas, calcule uma média e monte a sua.


Mas há uma regra geral: os valores variam de acordo com o tripé tipo de arquivo x complexidade x prazo. Assim, textos acadêmicos têm um valor diferente de textos literários; 200 páginas em 4 dias custam mais caro do que 200 páginas em 10 dias, e assim por diante.


Há quem também faça diferenciação de valores entre primeira e segunda revisão, custando mais e menos, respectivamente. Alega-se que como a segunda prova já foi revisada, ela está mais “limpa”. A nosso ver, essa diferença não se aplica, pois a atenção e a dedicação do revisor precisam ser as mesmas em qualquer etapa.


Como receber?


Normalmente, editoras trabalham com emissão de nota fiscal ou Recibo de Pagamento Autônomo (RPA) e têm suas datas específicas para pagamento. Ainda assim, é importante perguntar como e quando você receberá pelo trabalho realizado.


Já com pessoas físicas, não deixe de explicar como você está cobrando – por página, lauda etc., porque nem sempre elas sabem como isso funciona.


E também é comum no mercado pedir um depósito de 50% do valor para o dia combinado para o cliente entregar o arquivo. E os outros 50% devem ser depositados no dia acertado para a entrega do trabalho revisado. Também é praxe estabelecer uma porcentagem a mais no valor habitual para revisões com urgência (por urgente entende-se até 72h, geralmente).


Recomenda-se criar um orçamento formal, salvá-lo em PDF, enviar ao cliente e pedir que ele responda dando “ok” para esse orçamento – isso vale como um registro de tudo o que foi acordado.


Estes são alguns dos dados que devem constar nesse “contrato”:


Data:

Nome do cliente: Arquivo enviado para análise: (tipo e tamanho do arquivo)

Valor: (discriminado por lauda, página, slide etc.)

Prazo de entrega:

Forma de pagamento:

4. Combine o prazo de entrega


Esse passo vale para você, freelancer, e para o cliente também.


Não adianta o revisor se programar e se comprometer com um prazo, se o cliente entregar o arquivo depois da data combinada, ou não realizar o depósito inicial (no caso de pessoa física). Caso isso aconteça, adie a data de devolução acertada proporcionalmente ao período de atraso do cliente.


Se o cliente tiver um prazo definido que ele não pode alterar, certifique-se de que o tempo é suficiente para você entregar o trabalho pronto. Atrasos prejudicam muito a sua imagem como profissional.


Por isso, é importante que você saiba quantas laudas e páginas, em média, consegue revisar em um dia de trabalho. Isso ajuda a estabelecer o tempo que você precisa para concluir a revisão de um freela.


Seja o iniciante em revisão de texto, seja o cliente, seguir esses passos poupa alguns desentendimentos ao longo da realização do trabalho, traz mais garantias de profissional e contratante satisfeitos, e pode dar início a uma relação de trabalho duradoura.


Deixamos de apontar algum passo importante nesse processo da revisão de texto? Conte-nos aqui nos comentários!


Recentes
Categorias
Fino Social
  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • LinkedIn - Black Circle